sábado, 16 de novembro de 2013

MEMÓRIAS LEMBRANÇAS

MEMÓRIAS LEMBRANÇAS

Hoje soprou um vento
Doce com imensa ternura
Os pássaros cantavam melodias doces
Da primavera florida e bela, que é a vida
Olhaste para os meus olhos famintos de amor
Passaste as mãos pelo meu cabelo, pelo meu corpo
Saímos felizes e livres em direção
A uma cabana à beira do rio, era velha, mas aconchegada
Passámos por uma árvore cheia de frutos
Faminto que estavas
Onde as nossas bocas se uniram num beijo molhado
Colheste-me como um fruto de uma árvore
Estavas sedento de paixão
Estavas cheio de sede, bebeste-me como água,
Marcaste os teus dentes na minha carne e eu gostei
O meu corpo era como caminho sinuoso sem volta
Tomaste-me nos teus braços fortes
Agarraste-te à minha cintura, encostaste o teu peito ao meu
Sentistes o meu coração inquieto, mexeste nos meus
Cabelos e perdi-me de gemidos, ardentes
As nossas bocas uniram-se e tudo está consumado.
Deste amor que alimenta esta paixão de mais de 28 anos de vida em comum
Fazer amor contigo é das coisa mais belas que Deus nos proporcionou
Gosto da tua maneira dominadora, que sabe amar
E entregar-se a uma mulher, sendo eu a felizarda
Por ter um homem que me ama com loucura e paixão.

Isabel Morais Ribeiro Fonseca